O DÍZIMO EM NOSSA VIDA

O quinto mandamento da Igreja determinava, até pouco tempo, que é dever do católico “pagar o dízimo segundo o costume”. Mas que costume será este? A Igreja Católica tem se mostrado tolerante quanto à obrigação de se pagar a décima parte do que se ganha. A nova redação dada ao mandamento “pagar o dízimo segundo o costume” tornou-se “ajudar a igreja em suas necessidades”.

O dízimo, bem entendido, exclui o egoísmo e integra o amor. Deve ser buscado com desejo constante, ou seja, sentir vontade e amor em participar de coração do dízimo que é fonte de graças, sinal de comunhão com Deus. E inadmissível o dízimo como pagamento, ele deve ser entendido como devolução a Deus do que ele mesmo nos dá.

Nós dizimistas não podemos entender a devolução como troca de favores (teologia da prosperidade), devemos fazer essa devolução com amor, sem segundas intenções, sem exigirmos que a Igreja realize obras para incentivar a participação da devolução, porque mostrar obras é próprio dos políticos e não da Igreja.

Devemos participar do dízimo com apenas um sentimento – “Entrar em comunhão com Deus, participar de seu plano de salvação e estar em comum-união com a casa de Deus e a comunidade”.

Dízimo é a entrada em comunhão com Deus, é a partilha, mas para chegarmos a isso, precisamos educar nossa fé. Quando é Deus que pede, a oferta é conforme manda nossos corações e corações conscientizados conhecem seus deveres, conhecem as necessidades da sua paróquia, e na hora da devolução dos nossos dízimos atenderemos com amor e fidelidade ao pedido de Deus.

DÍZIMO: QUANTO OFERTAR?

Efetivamente, dízimo significa uma décima parte, ou dez por cento, como já se ofertava ao tempo do Antigo Testamento. A Igreja conversou a palavra bíblica “DÍZIMO”, sem entendê-la tão somente como porcentagem. Contudo, longos anos afastados da prática do dízimo, poucos são ainda os cristãos católicos que o têm como compromisso. Há, assim, que se reconhecer difícil, de uma hora para outra, separar os dez por cento de Deus de um salário pequeno já comprometido com um orçamento apertado.

Deus há de entender e perdoar, enquanto sentir o esforço e o propósito de cada um. São Paulo (II Cor 9, 7) orienta: “Dê cada um conforme o impulso do seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama o que dá com alegria”. É isso: se mesmo se esforçando, você só pode dar pouco, faça-o, mas com amor. E que não seja seu resto, sua sobra.

Embora a palavra Dízimo signifique a décima parte (dez por cento), São Paulo nos ensina que nossa contribuição não precisa basear-se num percentual rígido; o critério para definir o valor do Dizimo é o impulso de nosso coração. Devemos contribuir com o máximo que o nosso orçamento possa suportar. Assim, quem pode dar 10% não contribua com menos. Quem pode dar 5% não dê 4, quem pode dar 3% não dê 2.

Nada do que Deus lhe deu é resto. Se você pode dar muito, mas não se sente motivado, não está conscientizado, não dê nada. Porque sem amor, sem o sentido da gratidão e do compromisso, não é dízimo, é esmola. Deus não quer e não precisa de esmola.

A orientação que se pode dar para quem vai iniciar a prática do dízimo, vai ainda se inscrever como novo dizimista, é que inicie com um ou dois por cento, para não ter que desistir logo em seguida. Lembre-se que bastou um jovem desprendido ofertar cinco pães e dois peixes para que Jesus operasse o milagre da multiplicação (Jo 6,5-13). Assim fará com o dízimo em nossa paróquia. Aos poucos, vendo o desenvolvimento de sua comunidade e o trabalho que agora é possível promover, você pode querer aumentar sua participação. Será uma decisão sua e de sua família.

OS DEZ MANDAMENTOS DO DÍZIMO

1º mandamento: Contribuirei com o dízimo CONSCIENTEMENTE.
2º mandamento: Contribuirei com o dízimo ESPONTANEAMENTE.
3º mandamento: Contribuirei com o dízimo PRIORITARIAMENTE.
4º mandamento: Contribuirei com o dízimo GENEROSAMENTE.
5º mandamento: Contribuirei com o dízimo FIELMENTE.
6º mandamento: Contribuirei com o dízimo HONESTAMENTE.
7º mandamento: Contribuirei com o dízimo INCONDICIONALMENTE.
8º mandamento: Contribuirei com o dízimo SOLIDARIAMENTE.
9º mandamento: Contribuirei com o dízimo ALEGREMENTE.
10º mandamento: Contribuirei com o dízimo GRATUITAMENTE.

Procure a secretária paroquial para contribuir com o dizimo.