O QUE É A PASTORAL DO DÍZIMO?

Dízimo é o gesto de gratidão a Deus do que somos e temos. Foi a forma que Abraão encontrou para agradecer, devolvendo a Deus a parte dos bens conquistados, não porque Deus precisasse, mas por gratidão ao Senhor a quem tudo pertence. Depois deste primeiro gesto de Abraão encontramos várias citações na Bíblia que apontam para a importância ao dízimo (Mc 12,13-17; 1Cor 16,1-2; Lc 4, 18-19; 2Cor 8-9; Lv 27.32-34; Ml, 11-12; Sl 24,1; At 28,35; Lc 6, 33; Fl 4, 19; etc).

Em 1967 os Bispos do Brasil refletiram sobre o ser católico e sua missão da Igreja. E para que a Igreja possa continuar sua missão de evangelizar, os leigos deverão exercer seu protagonismo. A conscientização do dízimo ocupa lugar de destaque enquanto instrumento da ação evangelizadora. Em 1974, na 16ª Assembléia dos Bispos do Brasil, foi criada a partir de então a Pastoral do Dízimo com o objetivo de dar continuidade ao plano de ação da Igreja.

Em nossa paróquia esta pastoral foi implantada nos anos 70. O trabalho de conscientização em torno ao dízimo nunca está concluído, pois a realidade social, econômica e cultural muda constantemente e, com ela, sempre surge a necessidade de inovações e adaptações para atender as inúmeras demandas pastorais.

Embora esta pastoral esteja implantada, nem todos os paroquianos conhecem o verdadeiro sentido do dízimo, confundem o dízimo com uma oferta dada nas missas ou um serviço voluntário prestado a igreja como catequistas, ministro da Eucaristia etc. Assim se eximem de serem dizimistas. O dízimo carrega consigo outra dimensão e significado. Devemos compreender esta pastoral em três dimensões: religiosa, social e missionária.

Dimensão religiosa: o dízimo deve suprir com recursos, todas as necessidades direta ou indiretamente ligadas ao culto e aos seus ministros. Gastos com o templo – construção e manutenção, salário do padre e dos funcionários, encargos, energia elétrica, água, telefone, impressos, paramentos litúrgicos, velas, vinho, hóstias, equipamentos de som e audiovisuais, etc.

Dimensão social: o dízimo deve suprir as necessidades dos irmãos mais necessitados da comunidade, atendidos pelas pastorais sociais. As nossas pastorais sociais cuidam da promoção do ser humano e neste seu trabalho de misericórdia e compaixão resgatam a dignidade dos irmãos assistidos.

Dimensão missionária: o dízimo deve sustentar financeiramente as ações de evangelização da comunidade exercidas dentro e fora do território da paróquia. Nesse mesmo compromisso de fidelidade a Deus, somos convocados a proclamar o Evangelho a todos os povos. Formação dos novos padres (manutenção dos seminários religiosos e diocesanos) e o trabalho missionário (em nosso caso, Angola).

Dízimo não é nova lei, esmola, taxa ou comércio; é uma oferta espontânea, livre e familiar. É preciso ter isso claro. Segundo o espírito bíblico e cristão é consequência de um ato de fé livre e comprometido com a minha comunidade. Pois, a minha vida, o que sou e tenho é um dom de Deus. E uma forma de expressar essa gratidão a Deus, como Abraão, é oferecendo o dízimo.

Procure a secretária paroquial para contribuir com o dizimo.