São Joaquim e Sant’Ana – Padroeiros dos Avós

A Igreja celebra hoje, 26 de Julho, a memória de São Joaquim e Sant’Ana, pais da Virgem Maria e avós de Jesus. Em hebraico, Ana exprime “graça” e Joaquim equivale a “Javé prepara ou fortalece”. Em razão desta data, comemora-se também o Dia dos Avós.

Alguns escritos apócrifos narram a respeito da vida destes que foram os primeiros educadores da Virgem Santíssima. Também os Santos Padres e a Tradição testemunham que São Joaquim e Sant’Ana correspondem aos pais de Nossa Senhora. Sant’Ana teria nascido em Belém. São Joaquim na Galileia. Ambos eram estéreis. Mas, apesar de enfrentarem esta dificuldade, viviam uma vida de fé e de temor a Deus.

Santa Ana e São Joaquim são um dos grandes milagres que vemos nas histórias, pois conta a história que apesar da idade avançada os dois não possuíam filhos devido a esterilidade, e isto os causava grande sofrimento, já que para os judeus não ter filhos era um sinal de maldição de Deus. Porém eles nunca desistiram de sua fé, e após muitas orações e muita fé Ana Engravidou, estava esperando Maria.

Era um grande milagre para o casal, Maria nasceu, já com a missão de gerar o Filho de Deus. Podemos atestar a santidade de Santa Ana e São Joaquim através da santidade de Maria, pois como diz um antigo provérbio: “pelos frutos conhecemos as árvores”. Maria, ao nascer, não só tirou dos ombros dos pais o peso de uma vida de medo de uma maldição, mas ainda recompensou-os pela fé, ao ser escolhida no futuro para ser a Mãe do Filho de Deus.

O Senhor então os abençoou com o nascimento da Virgem Maria e, também segundo uma antiga tradição, São Joaquim e Sant’Ana já eram de idade avançada quando receberam esta graça. A menina Maria foi levada mais tarde pelos pais Joaquim e Ana para o Templo, onde foi educada, ficando aí até ao tempo do noivado com São José.
A data do nascimento e morte de ambos não possuímos, mas sabemos que vivem no coração da Igreja e nesta são cultuados desde o século VI.

Maria recebeu no lar formado por seus pais todo o tesouro das tradições da Casa de Davi que passavam de uma geração para outra; foi no lar que aprendeu a dirigir-se a Deus com imensa piedade; foi no lar que conheceu as profecias relativas à chegada do Messias.

Ambos os santos, chamados padroeiros dos avós, foram pessoas de profunda fé e confiança em Deus. Segundo a tradição, o casal já estava com idade avançada e ainda não tinha filhos e a esterilidade causava sofrimento e vergonha, pois para o judeu não ter filhos era sinal da maldição divina. Joaquim e Ana que viviam uma vida de fé e de temor a Deus foram, então, abençoados com o nascimento de Maria.

“São Joaquim e Sant’Ana são representantes da fé que espera a realização das promessas de Deus, representam o povo da Antiga Aliança”, destaca o bispo de Santo André (SP) e presidente da Comissão Episcopal pastoral para Doutrina da Fé, dom Pedro Carlos Cipolini

Os Santos também são lembrados por terem educado Nossa Senhora no caminho da fé, alimentando seu amor pelo Criador e preparando-a para sua missão. Essa formação, influenciou profundamente na educação de Jesus.

Quando esteve no Brasil para a Jornada Mundial da Juventude em 2013, o Papa Francisco celebrou a data e destacou que “São Joaquim e Sant’Ana fazem parte de uma longa corrente que transmitiu o amor a Deus, no calor da família, até Maria, que acolheu em seu seio o Filho de Deus e o ofereceu ao mundo, ofereceu-o a nós. Vemos aqui o valor precioso da família como lugar privilegiado para transmitir a fé!”.

A festa de São Joaquim e Sant’Ana destaca a importância dos avós na vida da família, principalmente, na transmissão da fé que é essencial para qualquer sociedade. Os avós de Jesus ajudam a cultivar os valores da perseverança e confiança em Deus e também a nossa colaboração na obra da redenção.

Dom Cipolini destaca que São Joaquim e Sant’Ana são “fonte de inspiração na vida cotidiana pois nos ensinam a esperar o tempo de Deus”.

A princípio, apenas Santa Ana era comemorada e, mesmo assim, em dias diferentes no Ocidente e no Oriente. Só em 1913 a Igreja determinou que os avós de Jesus Cristo deviam ser celebrados juntos, no dia 26 de julho. É muito antiga a devoção a São Joaquim e Sant’Ana, sobretudo no Oriente. A liturgia de São João Crisóstomo refere-se a eles como “os santos avós de Deus: Joaquim e Ana”.

São Joaquim e Sant’Ana, rogai por nós, por nossa família, por nossos Avós! Amém!

Imagem relacionada