Seminário de estudos discutirá temas sobre o Sínodo da Amazônia

Secretaria Geral do Sínodo anunciou hoje o evento que se enquadra entre os preparativos para o Sínodo da Amazônia, em outubro próximo
Da Redação, com Boletim da Santa Sé

A Secretaria Geral do Sínodo organiza, de 25 a 27 de fevereiro próximo, um Seminário de Estudos em preparação à Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos sobre o tema “Amazônia: novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral”. Este Sínodo, convocado pelo Papa Francisco, será realizado no próximo mês de outubro.
O seminário será realizado no Instituto S. M. Bambina, no Vaticano, e terá como tema “Rumo ao Sínodo Especial para a Amazônia: dimensão regional e universal”. O primeiro dia será dedicado a aspectos eclesiais e pastorais à luz da Exortação Apostólica Evangelii Gaudium. Já no segundo dia serão discutidas questões ligadas à promoção da ecologia integral no horizonte da Encíclica Laudato sì, documento do Papa Francisco sobre o cuidado com a casa comum. Encerrando o seminário, o último dia será dedicado a um resumo e comunicação sobre o caminho de preparação ao Sínodo.

Participarão do seminário os presidentes das conferências episcopais da região Amazônica, mas também bispos e especialistas de outras áreas geográficas. Com isso, será possível destacar a relação entre a particular situação eclesial e ambiental amazônica e outros contextos territoriais similares.

Papa Francisco anunciou a Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a região Pan-Amazônia no dia 15 de outubro de 2017, antes de rezar a oração mariana do Angelus. Na época, o Santo Padre explicou que a reunião discutirá novos métodos para que a palavra do Evangelho chegue a esta porção do Povo de Deus comumente esquecida.

“O objetivo principal desta convocação é identificar novos caminhos para a evangelização daquela porção do Povo de Deus, especialmente dos indígenas, frequentemente esquecidos e sem perspectivas de um futuro sereno, também por causa da crise da Floresta Amazônica, pulmão do nosso planeta”, disse Francisco na época.