Tempos Difíceis

Tempos difíceis!

Sim. Mas não é ocasião para pânico. É mais uma ocasião para ações prudentes. Estamos todos no mesmo barco, portanto, nada de individualismo.

Convém meditar o capítulo 24 do livro do Profeta Isaías. Mas, não façamos fundamentalismo ou uma leitura descontextualizada.

Tenho lido nas redes sociais textos os mais diversos: Há quem diga que porque “zombaram de Jesus no carnaval” aí está a resposta. O carnaval seria o bode expiatório? É uma postura pouco inteligente.

Outros dizem que estamos no fim do mundo. Não é o fim. Digamos que é o fim de muitas ilusões; principalmente do materialismo acumulativo e egoísta. A segurança não está nas grandezas edificadas pelos povos. Há também quem se utilize de textos apocalípticos para proferir sentenças sobre o fim e até afirmar que “Jesus está voltando”. Voltando para que? Para onde? Ele está no meio de nós. Está agindo principalmente nos muitos profissionais da saúde, entre outros que dia e noite estão a postos cuidando da vida.

É estranho que outros falam sobre mensagens enviadas pela Virgem Maria. Que ignorância! Isto só pode ser uma patologia que remete a uma mente perturbada.

Prestemos atenção às orientações das autoridades competentes, dos diversos pastores das Igrejas Cristãs em vista da defesa e proteção da vida. Cuidemos mais intensamente da higiene e ajudemos os idosos a se recolherem. O isolamento social temporário é importante.

O que importa agora é nossa humanidade. Não importa o Credo que confessamos, nem classe social ou posição político-partidária.

Sejamos solidários. Com simplicidade, estejamos atentos às necessidades uns dos outros.

Diante de cada um de nós está uma bacia com água. Como Jesus, façamos uso da mesma para lavar os pés, isto é, para nos colocar a serviço dos necessitados. Não a usemos tal como fez Pilatos. O vírus da indiferença tem matado muita gente.

O recolhimento quaresmal nos fará aguardar o feliz dia da ressurreição.

Pe. Eliseu